Livro: “O Garoto da Casa Ao Lado”

Meg Cabot numa versão um pouquinho diferente, para alguns incômoda, para outros divertida. “O Garoto da Casa Ao Lado” é todo escrito em forma de e-mails, enviados por todos os personagens uns aos outros.

O tal garoto da casa ao lado, na verdade, mora em um apartamento que não é dele. De uma forma bem aleatória, ele acabou tendo que ir passear com o cachorro da dona da casa, uma velhinha que sofreu um grave e misterioso acidente. Ele está mentindo sua identidade para a vizinha, mais conhecida como Mel.

Ela é jornalista, adora acompanhar a vida das celebridades e tem uma amizade bem forte com Nadine, sua colega de trabalho. É pelos e-mails que elas mandam entre si que podemos saber de todos os detalhes entre o romance que acontece entre Mel e o tal vizinho.

Ri bastante, achei um livro rápido, bem direto e com uma dinâmica divertida. Como são e-mails, ficamos sabendo de tudo que acontece de maneiras bem diferentes. É a forma de um homem bem romântico e de uma mulher com cabeça de menina contando uma história de amor cheia de mentiras, problemas e dramas.

Meg,  como sempre, com seus livros divertidos, românticos e com uma escrita simples, conseguiu diferenciar bastante a maneira de cada personagem se expressar, expondo cada pedacinho da personalidade deles até mesmo na hora de escrever um e-mail.

Eu adorei, espero que vocês gostem também!

Anúncios

Livros: “De volta aos quinze” e “De volta aos sonhos”

De Volta Aos Quinze E De Volta Aos Sonhos

 Bruna Vieira, autora desses dois livros, é uma das blogueiras brasileiras mais conhecida entre as adolescentes. Ela é dona do Depois dos Quinze e inspira milhares de meninas todos os dias. E seus livros não fazem diferente. Com uma linguagem simples ela conta a história de Anita, uma mulher de 30 anos que tem a chance de mudar o próprio passado.

dvas4

  Quando mais nova, Anita costumava escrever um blog, assim como a Bruna. Mas ao reabrir seu próprio blog, ela volta a ser adolescente. Literalmente! Ela acorda como se estivesse indo para o primeiro dia de aula no ensino médio em um novo colégio, e ao refazer aquele único dia, muda o próprio futuro. E com isso e outras bobagens que ela faz em suas viagens no tempo, ela acaba perdendo o melhor amigo e também recém descoberto amor, o Henrique.

E assim ela, adulta, resolve mudar de vida. Consegue um emprego como fotógrafa e viaja para França. Por quê? Simplesmente porque o seu amigo/amor Henrique acabou indo para a França nessa realidade sem ela. E lá ele se tornou um músico, e cantor famoso na internet. E lá eles se conhecem, com uma ajudinha do incrível Facebook, e se apaixonam instantaneamente.

dvas3

Em De Volta Aos Sonhos, Anita acorda novamente como adolescente. E  começa a mudar tudo, de novo. Enquanto isso, na França, Henrique conseguiu aparecer na Tv para falar sobre sua música junto com Kate, sua parceira. O mundo interpreta a relação dos dois de forma errada, e Anita volta para o Brasil decidida a esquece-lo e, quando adolescente, vai contra a mãe e escolhe fazer a faculdade que tanto queria.

dvas5

A história é muito bonitinha, é um livro fácil e muito rápido de ler. Fiquei apenas decepcionada com os diálogos que pareciam forçados, e faltou um pouco de personalidade nos personagens. Posso dizer que o enredo em si não me fez sentir nada demais, porém a ideia de me decepcionar com o que vem pela frente na minha vida me fez refletir por algum tempo.

O destino é uma coisa complicada de se mexer, e nada pode ser desfeito ou refeito. Anita apenas começou a aprender isso, e algumas vezes perdeu tudo, em outras ganhou o futuro que queria. Vivemos apenas uma vez e o que queremos deve ser feito agora, para no futuro não acabarmos como a Anita, querendo refazer uma vida inteira de escolhas influenciadas por terceiros. Por mais que os mais velhos sejam mais sábios, eles não podem prever o futuro.

A Trilogia do Mago Negro

O Clã dos Magos

O Clã dos Magos:

Sonea é uma garota de 16 anos, moradora de favela que vive numa época sem data conhecida, onde magos cuidam da cidade e ficam logo abaixo de Rei na pirâmide social. Durante um manifesto contra a Purificação (evento anual no qual as pessoas pobres são expulsas da cidade e obrigadas a voltarem para a favela) ela se revolta e joga uma pedra na direção dos magos. Surpreendentemente, a pedra atravessa o escudo de magia que havia envolta deles e bate num dos homens. O alvoroço foi enorme e todos começaram a fugir. Apenas um mago viu quem tinha realmente jogado a pedra, o Rothen.
Durante meses Sonea se escondeu pela favela e aos poucos começou a perder o controle de seus poderes, causando incidentes perigosos. Entrou algumas vezes escondida com seu amigo Cery na Universidade dos Magos e roubou livros, mas nada disso funcionou. Ela teve que ir morar com Rothen para aprender a controlar seus poderes, que acabam sendo muito maiores do que todos esperavam. Muitos não a queriam lá, pois apenas nobres e pessoas com dinheiro tem o direito de entrar para o Clã, mas Rothen era diferente e eles acabam virando bons amigos.

IMG_0331

A Aprendiz:

Depois de seis meses aprendendo coisas básicas, ela começa a realmente estudar com os outros aprendizes. Sofre muito bullying, e essas situações são contadas de uma maneira que eu comecei a ficar nervosa junto com ela, embora sejam engraçadas . Acaba sendo uma das alunas mais poderosas de sua classe, causando inveja e revolta naqueles que a consideram inferior por causa de suas origens, puro recalque.
Enquanto isso o Lorde Supremo, o mago mais poderoso de todo o Clã, descobre que Sonea e Rothen sabem a origem ilegal de seus poderes. Ele os proíbe de conversarem e torna Sonea sua favorita. Assim, ela acaba indo morar na residência do Lorde Supremo, ao mesmo tempo que perde qualquer chance de fazer amigos, ainda tem que conviver com o medo de ser atacada por vários aprendizes ao mesmo tempo na Universidade e de ser ferida pelo próprio Lorde. Mas, uma grande luta no fim acaba trazendo paz para todos.

Trilogia do Mago Negro

Os livros são grandes e bem detalhados, ao ponto que eu consegui sentir tudo o que os personagens passavam. Nas últimas páginas do segundo livro, eu chegava a tremer de nervosismo e medo, sentindo meu coração bater mais forte a cada parágrafo. O livro não gira totalmente em torno de Sonea, também conta o drama do melhor amigo do Lorde Supremo, que sabe de todos segredos mas não sabe o que fazer, e as viagens de Dannyl, melhor amigo de Rothen, que saiu pelo país pesquisando sobre magia antiga. Achei que faltou um romance ou algo assim, mas talvez isso seja apenas frescura minha. Mesmo assim, são maravilhosos, fazia tempo que não ficava tão presa em uma história.

O terceiro livro da trilogia eu ainda não li e achei que seria melhor falar sobre a história sem saber o final, para não acabar falando demais.

Isso é tudo, até!

Livro: Vinte Garotos No Verão

IMG_7110

Matt, Anna e Frankie eram melhores amigos desde sempre. Frankie e Matt eram irmãos e Anna era apaixonada por Matt. Em seu aniversário de 16 anos, eles se beijam e começam um namoro muito bonitinho. Porém, esse amor só dura um mês. Matt morre de um ataque cardíaco quando voltava para casa com Anna e Frankie, e elas agora tem que seguir a vida. Claro que mudam totalmente com a tragédia, mas continuam melhores amigas.

Agora, um ano depois, elas estão indo para a Califórnia passar as férias na casa de praia dos pais de Frankie. A dupla fez uma aposta na qual prometeram conhecer 20 garotos até o fim do verão, e assim, Anna perderia o que elas chamam de “albatroz”, o que é nada mais que sua virgindade. Para infelicidade de Frankie, elas não conhecem 20 garotos, mas se apaixonam por dois surfistas muito lindos e fofos. Brigam sério, vão à festas, fogem de madrugada, e não se dão mal por isso. Admito que isso me pareceu meio fora da realidade. Duas meninas fugindo de casa várias noites seguidas e ninguém percebe? Okay…

IMG_7112

É um livro divertido, animado, simples e leve. Anna trata sua tristeza de um modo real, nada exagerado ou dramático. Ela nota as mudanças que ocorrem ao seu redor sem aquele sentimentalismo falso muito comum em livros que relatam mortes e tragédias. Claro, elas são tristes, mas geralmente são tratadas de um modo a levar o leitor a lágrimas o tempo todo, e, neste caso, isso não acontece. Acompanhei as mudanças de Anna e Frankie, suas tristezas e alterações de humor ao longo da história como se estivesse mesmo vendo aquelas meninas perto de mim. Elas são comuns, sofreram uma grande perda e não conseguem viver sem pensar nisso, mas em momento algum dramatizam a situação em que vivem. E isso é maravilhoso, já que geralmente livros assim me deixam extremamente irritada, pois as pessoas normais realmente tentam esconder seu sofrimento, não aumenta-lo ou usa-lo como justificativa para fazer coisas erradas.

A sinceridade e simplicidade deste livro são, com certeza, suas melhores características.

 

De Repente Acontece

IMG_7041

Sara é perfeita para Tobey. Ela só não sabe disso ainda. Tobey é exatamente o que Sara quer como namorado. Mas ela só tem olhos para Dave, o cara popular e mais lindo da escola. Por acaso, Dave também gosta de Sara, mas não exatamente aquele jeito legal de se gostar de alguém. Ele só gostaria de leva-la para cama.

Sara e Tobey revezam entre si os capítulos, alternando quem conta a história. É muito fofo como Tobey acha Sara uma menina incrivelmente linda e inteligente desde o princípio. E depois de receber a informação dessa paixão, Sara imediatamente começa a ficar dividida entre músico sensível e o popular lindo. Sim, um clichê. Mas, sendo a segunda CDF da turma, depois de sua melhor amiga, ela faz a escolha mais inteligente. E fica com Tobey e o ajuda a conseguir o futuro perfeito que ambos sonham e tem um final feliz. Awn.

É uma história bobinha, mas que me fez rir bastante. Foi uma boa distração, mas não posso dizer que fiquei apaixonada pelo enredo. Eu gostei, só gostei. A dinâmica dos acontecimentos é muito rápida, não tem muito mistério, então acaba não surpreendendo, nem decepcionando. É previsível.  “Não julgue um livro pela capa” eu amei a capa, mas ela acabou sendo imensamente melhor que o livro em si :/

P.S.: eu gostei da história. Me fez ficar grudada no livro por dois dias, sim, mas não me marcou. Leiam e tirem suas próprias conclusões e, de preferencia, me contem depois.

 

A Culpa É Das Estrelas

“Alguns infinitos são maiores que outros”

IMG_7013

 Hazel Grace é uma menina com câncer bem solitária. Até que conhece Augustus em uma das reuniões do Grupo de Apoio para crianças com câncer. Ele agita bastante a vida dela, mais do que o esperado para um menino que já sofreu de câncer e não tem uma das pernas. Entre reflexões variadas, viagens e histórias tristes, eles se apaixonam. E não, não se deixe iludir pela coisa toda da doença do casal, eles na verdade têm muitos momentos felizes. Porém admito que no fim eu chorei, e muito. O amor deles é lindo, mesmo com suas peculiaridades.

 Posso dizer que o livro e o filme são praticamente iguais. Alguns pequenos detalhes, não muito relevantes, foram alterados no filme, mas tudo se manteve magnífico. As falas, as ações e as manias de cada personagem foram retratadas fielmente. Quando saí daquela sala de cinema, não vi uma garota que não estivesse chorando. A forma como foi filmado, a atuação dos atores e até a aparência deles se encaixavam. Apesar de não concordar com algumas mudanças, entendo que se fossem retratar cada momento do livro, o filme duraria mais de 3 horas.

 John Green, com toda sua criatividade e habilidade para escrever romances, superou minhas expectativas. Achei que, por ser uma história sobre adolescentes com câncer, se resumiria em ambos sofrendo e quase morando no hospital. Mas não é assim. Não há ninguém com cara de defunto. Nem mesmo quando algum deles tem uma recaída. Não é uma história triste a ponto de te deixar mal por ser saudável. É um Romeu e Julieta do século XXI. Se antigamente o que separa um casal era a família, hoje em dia é a saúde. Ou a falta dela.

IMG_7014

Pela quantidade de frases inspiradoras no livro e a adaptação perfeita do mesmo em filme, posso dizer que meu amor por essa história é mais que infinito. E sempre leiam o livro antes de ver o filme.

“Eu Amo New York” e “Eu Amo Hollywood”

Imagina poder simplesmente fugir pra New York depois que tudo der errado na sua vida? Pois foi mais ou menos isso que a Angela Clark fez.

IMG_6937

Depois de encontrar seu noivo a traindo durante o casamento de seus melhores amigos, brigar com o casal e fazer um belo escândalo, Angela se vê em desespero e sem saber pra onde ir. E como não podia voltar a morar com os pais por uma questão de orgulho, mijou no nécessaire  do atual ex-noivo e pegou o primeiro avião pra New York. Sua sorte foi encontrar Jenny trabalhando no hotel onde se hospedou. Comovida com a história dela, Jenny a ajuda a melhorar e em alguns dias Angela arranja dois namorados, um emprego como blogueira, um novo apartamento, amigos maravilhosos e esquece totalmente daquilo que parece ter sido uma história triste que aconteceu num passado bem distante.

IMG_6941

Dividida entre o banqueiro rico e o roqueiro totalmente perfeito, lindo e fofo, acaba fazendo tudo errado e ficando sem nenhum dos dois. Até as últimas páginas quando o cara certo reaparece. E em seu blog ela conta tudo isso, e é claro, vira um sucesso. E isso a leva até Hollywood, para entrevistar James Jacobs, um ator extremamente lindo e famoso. Obviamente, ela não é nada boa com entrevistas, já que nunca fez uma. Isso faz com que seu trabalho seja confundido com um romance. Mas não é bem por ela que James está apaixonado…

IMG_6962

Não tenho palavras pra descrever o tamanho da minha vontade de fugir do Brasil pra lá logo que li esses dois livros. Angela me fez amar New York de um jeito que nem Hollywood ou Los Angeles inteira pareça melhor. As lojas, as ruas, as pessoas, e até aqueles bares sombrios parecem extremamente apaixonantes aos olhos dela. E quem não sonha em encontrar o amor verdadeiro em um menino romântico e lindo de olhos verdes e cabelo preto? Eu me apaixonei por ele mais do que por qualquer outro personagem em todos os livros que já li.

Já lançaram o terceiro livro, “Eu Amo Paris”, e estou mais que ansiosa pra lê-lo. Ai, eu amei demais essa história.