“I´m walking on sunshine”

Dia 24 de janeiro o Leonardo comemorou seu primeiro aniversário!

Alguns dias antes eu tive a honra de fotografar esse menino sorridente que adora bolo! Ele é o irmão mais novo do meu namorado e futuro amigo do meu irmãozinho. Divirtam-se com esse sorriso de neném!

IMG_4040IMG_4055-EditarIMG_4098-EditarIMG_4146-EditarIMG_4157-EditarIMG_4173-EditarIMG_4179-Editar

“I’m not scared to be seen”

Adoro trabalhar com mulheres que não são modelos. Elas não conhecem seu corpo da mesma forma que as profissionais. E, se tudo der certo, no fim elas ficam surpresas e orgulhosas de sua própria beleza, em ângulos que não conheciam, pois o espelho não é capaz de mostrar.

Natália Alves é uma amiga minha há alguns anos. Ela tem uma história de autoconhecimento e aceitação muito linda. Cada vez que a reencontro, consigo ver que ela se apaixonou um pouquinho mais por si mesma.

4 meses e 4 coisas que aprendi

Bruno, meu irmãozinho mais novo, tem quatro meses. Ele já me ensinou bastante nesse curto tempo de vida. Talvez você, que não tenha um irmão mais novo com 18 anos de diferença de idade, não saiba disso.

1: Bebês tem esse superpoder de esquentar cada cantinho do seu coração, até nos dias mais tristes!

2: O peido deles é tão fedido quanto o de um adulto, às vezes até mais.

“Foi você? Ah, fui eu...”

3: Eles ADORAM se agarrar nos cabelos dos outros e puxar.

4: Eles adoram se jogar das camas e do sofá. De preferência de cabeça. (Mas meu irmão nunca chegou a cair, eu juro)

Filme: O Extraordinário

Há alguns anos atrás, li o livro que inspirou a produção desse filme (resenha aqui).

Dias depois de ver esse filme, entrei em uma conversa engraçada. Minha amiga me explicava porque ela andava tentando não ver os filmes dos livros que havia lido, ou não ler o livro depois de ter visto o filme. Ela disse que isso estragaria ou o livro ou o filme. Infelizmente, nesse caso, ela estava certa.

Resumão: Auggie é um menino de 10 anos que nasceu com uma deformação facial. Ele nunca foi à escola, até agora. O filme gira ao redor de Auggie, e como é explicado no filme e no livro, ele é o Sol de sua casa. Não apenas por ser um menino brilhante e muito querido, mas também porque exige atenção constante dos pais, já que não tem amigos.  Esse é o clássico filme de domingo para ver com a família: tem seus momentos de risadas e lágrimas, mas é  leve e te deixa com uma vontade de aproveitar a vida.

Comparação: Livro X Filme

Como (quase) sempre, o filme deixou alguns detalhes importantes de lado. Eu, que já havia lido o livro, consegui perceber, mas quem nunca leu, nem vai sentir falta. Faltou explicar a importância da trança que o menino tinha na nuca, por exemplo. Porém foram fiéis aos diálogos e a ordem cronológica do filme. Até as frases de efeito do Auggie no fim do livro foram usadas!

SOBRE O FILME

Adorei como nos fizeram entrar na cabeça do menino, mas sem aquela leitura de pensamentos clichê. Trouxeram o Chewbacca para a história (Auggie ama Star Wars), como um amigo imaginário. Ele aparecia quando o garoto notava todos olhando para ele ou quando tinha que lanchar sozinho, para amenizar a vergonha. Ninguém mais conseguia vê-ló, é claro.

Fiquei extremamente decepcionada ao descobrir que o ator que fez Auggie, Jacob Tremblay, usou maquiagem para criar as deformações. Sei que seria mais difícil encontrar e trabalhar com um menino que realmente tivesse o mesmo problema de Auggie, mas não é exatamente esse o ponto do filme: mostrar que a aparência não te impede de ser quem você quiser? Com certeza deve ter alguém nesse enorme mundo com os problemas de Auggie, e o sonho de ser ator. Perderam uma oportunidade aí. Mas Jacob fez um trabalho incrível, não posso negar. E parabéns aos maquiadores também, as cicatrizes e marcas ficaram incríveis.

Ao sair do cinema, a sensação é de realização, pois Auggie conseguiu sobreviver ao seu primeiro ano na escola e ainda conseguiu ótimos amigos, mas também de culpa. Perdemos tantas oportunidades de fazer amizades, de ajudar, por causa de um preconceito com a aparência ou meros boatos sobre os outros. E pensar que eu poderia ter sido o Jack ou a Summer na vida de alguém, e não fui. Fica essa reflexão para fechar o livro, o filme e esse post.

Até a próxima!

Diário fotográfico: 1

Eu tiro muitas fotos, o tempo todo. Nem todas cabem no insta, e algumas são boas demais pra ficarem esquecidas no meu hd externo.

3 de janeiro de 2018

Primeiro passeio de barco do meu irmão, Bruno, e aniversário do meu pai. Saímos para comer um almoço na Costa da Lagoa em família. Foi um dia ensolarado com um ventinho pra refrescar.

“We’re the kids of the future”

Ultimamente tenho adorado tirar fotos de crianças. É como eternizar a infância em um retrato. Conheçam a Manu: uma menina tão simpática e animada, eu fiquei até surpresa. Foi um dos ensaios mais divertidos que já fiz, hehe.

Manu (17 de 108)Manu (90 de 108)Manu (35 de 108)Manu (41 de 108)Manu (45 de 108)Manu (23 de 108)Manu (54 de 108)Manu (32 de 108)Manu (29 de 108)Manu (61 de 108)Manu (70 de 108)Manu (104 de 108)Manu (103 de 108)Manu (107 de 108)